Campanha SOS Tikunas - Amazônia

O povo indígena Tikuna, no extremo Oeste do Amazonas, bem como as demais etnias na região, foi atingido pela pandemia da COVID-19, e apelou por ajuda para conter a propagação da doença em suas aldeias, bem como para ajuda humanitária às famílias com dificuldades de obter o sustento alimentar (especialmente aquelas situadas em zona urbana, como em Tabatinga e Benjamin Constant).


O território Tikuna situa-se no Alto Solimões, e ao longo desse rio distribuem-se 12 terras indígenas ou comunidades, compostas por cerca de 53.000 pessoas: São Sebastião, Betânia, C. Alegre, São Paulo do Olivença, São Francisco do Canimari, Nova Itália, Vendaval, B. Solimões, Umuriaçu I e II, Filadélfia e Feijoal.


A campanha SOS TIKUNAS foi lançada no início de maio, de imediato atendendo famílias Tikuna de Feijoal (de onde partiu o apelo por ajuda) e famílias da etnia Kokama. A campanha visa garantir recursos de proteção pessoal às famílias indígenas para conter a propagação do Coronavírus nas aldeias do Alto Solimões, de modo a minorar seu impacto em número de óbitos em razão da pandemia, em uma região em que os equipamentos públicos de saúde são reconhecidamente deficitários. Igualmente contribuir com recursos para alimentação das famílias indígenas urbanizadas, atingidas pela paralização da economia local, com a consequente perda de emprego e renda.


A coordenação da Kamuri articulou, em apenas uma semana, uma rede local de apoiadores e voluntários, envolvendo integrantes de três instituições de ensino superior (UFAM, UEA, IFAM), pessoas da comunidade indígena e não-indígena local e servidores do DSEI e da FUNAI. Em 10 dias os recursos começaram a chegar às comunidades, iniciando pela compra de materiais e contratação de costureiras locais para confecção de máscaras de proteção individual, e pela distribuição de kits de higiene e limpeza e de alimentação (conforme orientação dos agentes locais).


Até o presente momento (em 50 dias de campanha) já foram entregues, nas comunidades indígenas do Alto Solimões, mais de 20 mil máscaras de proteção individual (perto de 40% delas confeccionadas localmente, gerando também renda para famílias indígenas e não-indígenas da região), perto de 2 mil kits de higiene e limpeza, além de cestas básicas para famílias indígenas urbanas.


Destaque-se que apenas a Campanha SOS Tikunas tem providenciado e distribuído kits de higiene para as comunidades indígenas naquela região. A partir de 29 de junho inicia-se uma segunda fase da campanha: SOS TIKUNAS – AMAZÔNIA, ampliando a área de abrangência para o Médio Solimões, onde muitas comunidades indígenas carecem do mesmo apoio.


SOS Tikunas Campaign - Amazon


The Tikuna indigenous people, in the far west of Amazonas, as well as the other ethnic groups in the region, were hit by the COVID-19 pandemic, and called for help to contain the spread of the disease in their villages, as well as for humanitarian aid to families with difficulties in obtaining food sustenance (especially those located in urban areas, as in Tabatinga and Benjamin Constant).


The Tikuna territory is located in Alto Solimões, and 12 indigenous lands or communities are distributed along this river, composed of about 53,000 people: São Sebastião, Betânia, C. Alegre, São Paulo do Olivença, São Francisco do Canimari, Nova Itália, Vendaval, B. Solimões, Umuriaçu I and II, Filadélfia and Feijoal.

The SOS TIKUNAS campaign was launched in early May, immediately assisting Tikuna families from Feijoal (where the call for help came from) and Kokama families.


The campaign aims to ensure personal protective resources to indigenous families to contain the spread of the coronavirus in the villages of the upper Amazon, in order to minimize its impact on the number of deaths due to the pandemic, in a region where public health facilities are known to be deficient. Likewise, contribute with resources to feed urbanized indigenous families, affected by the paralysis of the local economy, with the consequent loss of jobs and income.


Kamuri's coordination articulated, in just one week, a local network of supporters and volunteers, involving members of three higher education institutions (UFAM, UEA, IFAM), people from the local indigenous and non-indigenous community and servers from the DSEI and the FUNAI. In 10 days, resources began to reach the communities, starting with the purchase of materials and the hiring of local seamstresses to make individual protection masks, and the distribution of personal hygiene, cleaning and food kits (as instructed by local agents).


To date (in 50 days of the campaign), more than 20,000 individual protection masks have been delivered to the indigenous communities of Alto Solimões (close to 40% of them made locally, also generating income for indigenous and non-indigenous families in the region), close to two thousand hygiene and cleaning kits, in addition to basic baskets for urban indigenous families.

As of June 29, a second phase of the campaign begins: SOS TIKUNAS - AMAZÔNIA, expanding the coverage area to the Middle Solimões, where many indigenous communities lack the same support.


Enviado por / Sent by

Kamuri Cultural


ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE

MARIA E TSU HUNG SIEH

ABMTHS 2018 - Todos os direitos reservados

Design Victor Martins