• ABMTHS

Expedicionários da Saúde promovem ação para prevenir câncer de colo de útero em mulheres indígenas

Por meio de um procedimento cirúrgico, é possível evitar um dos tumores mais prevalentes no país. Expedição “Cor-de-Rosa” atendeu 62 mulheres da região de São Gabriel da Cachoeira-AM


A ONG Expedicionários da Saúde (EDS), organização que leva atendimento e medicina especializada a regiões isoladas e povoadas por grupos indígenas, esteve em São Gabriel da Cachoeira, no noroeste amazônico, para uma missão muito especial: atender mulheres indígenas em uma iniciativa de prevenção do câncer de colo de útero. As atividades, realizadas entre os dias 6 e 12 de agosto de 2019, envolveram procedimentos cirúrgicos, atendimentos clínicos e exames laboratoriais. O grupo, formado por sete voluntárias EDS, atendeu 62 pacientes. Ao longo dos seis dias de atendimento, foram realizadas 23 biópsias, 38 exames de citologia oncótica, 62 colposcopias, 8 ultrassonografias, 4 cirurgias de mama e 11 cirurgias de alta frequência (CAF), procedimento no qual alterações celulares são removidas do útero, preservado assim o órgão e evitando futuros casos de câncer.


O diferencial desta Expedição foi o atendimento ginecológico específico para realizar cirurgias nas mulheres indígenas que já tinham diagnósticos alterados de CO. “O câncer de colo de útero ainda é muito prevalente no Brasil, mas é possível mudar esse cenário por meio de ações como a realizada em São Gabriel da Cachoeira. Com o diagnóstico e procedimento correto, essas mulheres ganham a chance de terem vidas normais, longe da ameaça de um tumor”, comenta Dr. Ricardo Affonso Ferreira, presidente e um dos fundadores da ONG.


Contribuir para a detecção e a prevenção do câncer de colo de útero é essencial. Por meio de consultas e exames ginecológicos regulares, é possível identificar e intervir em alterações celulares que levam à doença. Estas ações que foram realizadas em São Gabriel da Cachoeira são muito importantes se considerarmos o baixo acesso que as mulheres indígenas têm a atendimentos especializados.


O trabalho dos Expedicionários da Saúde contou com o apoio do Exército Brasileiro, que cedeu espaço em seu hospital para a realização dos procedimentos. Os equipamentos e insumos necessários foram levados pela equipe EDS e o Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Negro (DSEI-ARN) ofereceu apoio logístico para buscar e deslocar as pacientes que ficaram alojados na Casa do Índio. O ISA - Instituto Socioambiental, também apoiou a expedição, oferecendo hospedagem para a equipe de voluntários em sua sede, em São Gabriel da Cachoeira.

“Foram seis dias de muito trabalho, mas também de grande realização. Saber que mudamos a vida de mulheres que estavam prestes a ter uma doença tão grave é emocionante! Queremos ter a chance de fazer isso mais vezes”, comenta Dra. Íria Novaes, médica voluntária, coordenadora da área de ginecologia da ONG.




ASSOCIAÇÃO EXPEDICIONÁRIOS DA SAÚDE

Formado por um grupo de médicos voluntários, os Expedicionários da Saúde (EDS) levam medicina especializada, principalmente atendimento cirúrgico, a regiões isoladas e povoadas por grupos indígenas na Amazônia. A organização desenvolveu o projeto “Operando na Amazônia”, que mobiliza parcerias públicas e privadas para instalação provisória de um Centro Cirúrgico Móvel, composto por seis tendas com equipamentos de alta tecnologia para pequenas e médias cirurgias e atendimentos nas especialidades de oftalmologia, clínica geral, pediatria, ortopedia, ginecologia e odontologia. “A EDS organiza, em média, três expedições por ano em vários estados da Amazônia Legal Brasileira”. Até abril de 2019 foram realizadas 43 expedições clínicas e cirúrgicas, com um total de 8.356 cirurgias, 58.893 atendimentos e 87.428 exames e procedimentos. O maior número de cirurgias ocorre entre as especialidades de oftalmologia e cirurgia geral, além de cirurgias pediátricas, ortopédicas e ginecológicas de média complexidade. Também são realizados atendimentos clínicos em diversas especialidades. Levar “saúde e qualidade de vida” para as populações indígenas que vivem geograficamente isoladas é a Missão dos Expedicionários da Saúde.


Por Marcelo Moraes - EDS

ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE

MARIA E TSU HUNG SIEH

ABMTHS 2018 - Todos os direitos reservados

Design Victor Martins