top of page
  • Foto do escritorABMTHS

CNDS homenageia o "bispo dos pobres", Dom Helder Câmara

"O verdadeiro Cristianismo rejeita a ideia de que uns nascem pobres e outros ricos, e que os pobres devem atribuir a sua pobreza à vontade de Deus" Dom Helder Câmara


No sábado dia 26 de Agosto, a Comunidade Deus e Nossa Senhora, realizou em Paulista, PE, o evento Somos todos Irmãos, para lembrar os 24 anos da morte de Dom Helder Câmara. Atividades diversas realizadas durante todo o dia relembraram o legado de "Dom", como o arcebispo é carinhosamente chamado pelos pernambucanos.



Apresentações de danças típicas do instituto Dom Helder, a presença do povo indígena e de lideranças da igreja criadas por ele quando ainda estava vivo, mostraram o extenso trabalho de evangelização e resgate da dignidade humana realizado pelo sacerdote.



Grinaura Silva de Oliveira, conhece o trabalho de Dom Helder desde criança, quando acompanhava a mãe nas atividades evangelizadoras. Aos 72 anos, ela ainda participa de um dos movimentos criado por Dom, chamado "Encontro de irmãos", onde visitam as casas evangelizando toda a população. Para Grinaura, essa é a verdadeira evangelização:

Grinaura segue os ensinamentos de "Dom" desde quando era criança.



"São pobres evangelizando pobres", como Dom queria! As famílias sempre recebem a equipe com um cafezinho e muito amor a Deus! Somos um grupo grande e muito organizado, fazemos sempre uma reflexão de como está o nosso trabalho! Enquanto eu estiver viva, vou levar esse projeto, em memória a Dom Helder"







Um dos momentos marcantes do dia, foi o almoço servido pela Comunidade de Deus e Nossa Senhora a todos os presentes e a toda a população que passava pelo local, incluíndo as pessoas em situação de rua. Foram mais de 800 "quentinhas" feitas com mais de 50kg de feijão preto, carnes e linguiças, 30kg de arroz e 30kg de farofa!



Os jovens também estiveram presentes, ajudando e curtindo uma apresentação de hip hop e a grafitagem ao vivo de um grande painel com o rosto de Dom Helder.



No encerramento padre Adriano Chagas celebrou uma missa, onde relembrou a humildade de Dom Helder, quando durante um show do padre Zezinho em Recife, o arcebispo foi chamado ao palco e enquanto se dirigia para lá, foi ovacionado e aplaudido por todos.


Segundo o padre, ao chegar ao palco o arcebispo disse que "por um segundo achou que as palmas fossem pra ele, mas aí olhou pra cima e viu Jesus, sentado nos ombros dele e entendeu que os aplausos eram pra Jesus, que ele (Dom Helder) era só o jumentinho que O estava transportando!"



Ao final da missa, a Comunidade Deus e Nossa Senhora, apresentou um manifesto, onde pediu que não se "cale a profecia" e que os ensinamentos de Dom Helder não sejam em vão. E relembrou uma importante lição que Dom deixou:


Que o mundo precisa ser mudado e isso só acontecerá pelo empenho e união de grupos consagrados a transformar a humanidade através de uma fé profunda no ser humano e na vida. São as minorias abraâmicas, porque assim como Abraão, elas não se intimidam, não vacilam diante das dificuldades e provações, e contra tudo e todos, caminham para a construção de um mundo mais justo e humano!



A pedido da AbmthS, o instituto Anelo, criou uma música especialmente para o evento. Marisa Molchansky compôs a letra, melodia e empresta a voz para "Dom". Ouça, no clipe feito pela CDNS com alguns momentos do evento, a música que homenageia o arcebispo emérito de Olinda e Recife.



Dom Helder Câmara morreu dia 27 de agosto de 1999, aos 90 anos. Em uma época onde a defesa dos pobres e dos direitos humanos eram considerados subversão, o sacerdote escolheu lutar contra as injustiças sociais sem contudo, odiar o opressor. Ele dedicou toda a sua vida à defesa da justiça e da cidadania e até hoje, é lembrado com muito amor pelos pernambucanos.



18 visualizações0 comentário

Σχόλια


bottom of page